Dia Mundial do Livro


Esta data teve a sua origem na Catalunha, uma região da Espanha e começou a ser celebrada em 7 de Outubro de 1926, em comemoração do nascimento de Miguel de Cervantes, escritor espanhol.

Em 6 de Fevereiro de 1926, o governo espanhol, presidido por Miguel Primo de Rivera, aceitou a data e o rei Alfonso XIII assinou o decreto real que instituiu a Festa do Livro Espanhol.

No ano de 1930, a data comemorativa foi trasladada para 23 de Abril, dia do falecimento de Cervantes.

Mais tarde, em 1996, a UNESCO instituiu 23 de Abril como o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, em virtude de a 23 de Abril se assinalar o falecimento de outros escritores, como Josep Pla, escritor catalão, e William Shakespeare, dramaturgo inglês.





Quem me conhece sabe que sou "viciada" em livros e tenho que ler todos os dias, nem que sejam apenas alguns minutos, e gosto preferencialmente de ler à noite, antes de adormecer, como se este gesto fosse a chave de ouro para encerrar o meu dia. Digamos que é o meu soporífero, o meu comprimido diário para dormir um sono descansado toda a noite, sem necessidade de contar carneirinhos :-)

Quem me conhece sabe que uma das melhores prendas que me pode dar é um livro. E também sabe que é com frequência que também os ofereço.

Sendo bastante abrangente, gosto de quase todos os temas e estilos (à excepção de ensaios e/ou tipo teses) no entanto tenho preferências, claro, tanto por alguns autores como por alguns temas.

O "bichinho" começou com um livro que me foi emprestado na altura das férias grandes (naquela altura tínhamos 4 longos meses – de meados de Junho a meados de Outubro) pela tia Leopoldina que também gostava muito de ler e que devorei rapidamente.

Emprestou-me A TRAGÉDIA DA RUA DAS FLORES de EÇA DE QUEIROZ, autor que na altura não fazia a mínima ideia que era um “monstro” da literatura. Gostei tanto que fez com que anos mais tarde lesse toda a sua obra. Quando no liceu (sim que eu sou do tempo dos liceus e não das escolas secundárias) foi obrigatório ler OS MAIAS, para mim foi um prazer e não uma obrigação,.
Desde essa altura nunca mais parei e sendo um vicio muito saudável é em simultâneo bastante caro, por isso muitas vezes faço intercâmbio entre os amigos, mas principalmente com os meus filhos, o Miguel e o Pedro a quem felizmente contagiei desde pequeninos.
Tal como muitas coisas na vida, gostar de ler cultiva-se e se começarmos a incutir este gosto nos mais pequenos, significa que estamos a oferecer-lhes uma ferramenta poderosa de aquisição de conhecimentos. As vantagens da leitura são inúmeras, estimula o cérebro deixando-o mais criativo, estimula a linguagem deixando-a mais apurada, assim como beneficia o raciocínio deixando-o mais lógico

Para mim um livro é um amigo que me ensina, me diverte e me leva nas asas da imaginação. Neste sonho de papel (também já há digitais, mas eu prefiro os tradicionais) posso posso ser uma ave e voar, uma nuvem e flutuar no ar, ou simplesmente ler e saborear.
E para finalizar não percam este vídeo que recebeu o Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação que foi atribuído a um filme e que penso que todos os amantes de livros gostarão de ver.
É da autoria de William Joyce e Brandon Oldenburg e chama-se The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore. A recordar-nos que podemos sempre contar com os livros para tornarem as nossas vidas um pouco menos cinzentas 

Sem comentários: