Facturar ou não facturar eis a questão...




Estou indignada!
A população portuguesa está a fazer um esforço enorme para levantar o pais, ficando sem subsídios, com pagamentos de taxas extraordinárias, impostos mais elevados sobre bens essenciais, e depois vêm ALGUNS  comerciantes se queixarem porque têm de passar facturas simplificadas?  
Ouve se todos os tipos de queixas tais como: "Ah agora vou ter de colocar um empregado só para tirar facturas";  " vai ser um gasto de papel muito grande"; "Vai ser muito complicado tirar uma factura só por causa de um café, vai ser muito dispendioso"; " se nos assaltarem o estabelecimento roubam-nos o sistema"
E depois destas declarações surge-me a dúvida, como é que estes comerciantes facturavam antigamente? 
E pior do que estas declarações, são a de consumidores que dizem: "para que é que estas facturas me servem?", "não vejo qual é o sentido de pedir uma factura por causa de um café".
Para os comerciantes que não concordam com este sistema só lhes tenho a informar que têm de pagar impostos sobre todos os bens ou serviços e no caso de não o fazerem é fraude.
Para os consumidores que não pedem factura, depois não se queixem porque os impostos estão muito altos.

Será que esta gente não pensa que se todos pagarmos todos pagamos menos? 

Para quem quiser ouvir alguns comentários é só clicar aqui

1 comentário:

Anónimo disse...

Concordo Absolutamente!
Como empresário, acho uma pouca vergonha os senhores empresários da restauração, oficinas, cabeleireiros, etc, continuarem a sua fraude descarada aos impostos fazendo com que eu, a minha empresa e milhares de portugueses tenhamos que pagar mais impostos para sustentar esses chulos!

Se esses senhores não têm condições cumprir os seus deveres como cidadãos, então fechem as portas e façam-se à vida!

Para finalizar, o que acho mais estúpido ainda são as pessoas em geral dizerem que também não concordam com esta medida!
Isto só revela que o nosso povo se encontra com um qualquer bloqueio ou atraso mental muito grave, revelando uma tamanha e monstruosa iliteracia e que me assusta então cidadão deste país fantástico.
Santa Ignorância!