Padrão dos descobrimentos

Visitei no fim de semana passado um monumento em Lisboa, em posição destacada na margem direita do rio Tejo, o monumento foi erguido primitivamente em 1940 para homenagear os elementos envolvidos no processo dos Descobrimentos portugueses, e mais tarde a 10 de Outubro de 1960 é dado como concluído, um edifício de 9 metros de altura em betão e revestido a pedra rosal de Leiria, é assim que conhecemos hoje o Padrão dos Descobrimentos.
Tem a forma de uma Caravela, onde o Infante Dom  Henrique, o navegador,  vai na proa com uma caravela na mão, ladeado por mais 32 figuras, de heróis portugueses ligados aos Descobrimentos. Na face ocidental encontram-se o poeta Camões, com um exemplar de Os Lusíadas, o pintor Nuno Gonçalves com uma paleta, bem como famosos navegadores,cartógrafos e Reis.
"A República da África do Sul ofereceu para decoração do terreiro de acesso, uma Rosa-dos-Ventos com 50 metros de diâmetro, executada em mármores de vários tipos, contendo um planisfério de 14 metros. Naus e caravelas embutidas marcam as principais rotas dos Descobrimentos Portugueses. A autoria do desenho pertence ao Arq. Cristino da Silva."

E faço aqui um pouco de serviço publico, pois fui até lá e não encontrei nenhum panfleto nem nada que se pareça sobre o porquê daquele edifício existir, como achei desagradável decidi partilhar aqui um pouco de história.

1 comentário:

Anónimo disse...

Muito bem feito! Começo a gostar cada vez mais deste blog.