Vitoria&Abdul o filme

/ segunda-feira, setembro 25, 2017


VitoriaAbdul


VitoriaAbdul


A convite da Spread The Word  e da NOS tive o privilégio de poder assistir a uma sessão exclusiva de apresentação do filme Vitoria & Abdul.
Assim que cheguei ao El Corte Inglés, recebi um saco que estava fechado e que tinha indicações só para ser aberto no final da sessão. Curiosos? Também eu fiquei, e se querem saber leiam tudo até ao fim.
Antes da sessão de cinema, tivemos direito a um workshop de protocolo para rainhas, sempre útil pois sabe-se lá quando nos poderá vir a ser preciso utilizar as regras de etiqueta. Aprendemos também algumas curiosidades sobre esta bebida tão deliciosa, sabem porque é que se chama tea? Pois é, tem este nome pois quando as ervas eram exportadas de Portugal para o resto da europa, nomeadamente Inglaterra, as caixas de madeira onde iam armazenadas as ervas, tinham gravadas as letras T.E.A. que significava Transporte de Ervas Aromáticas. E sabiam que o chá é a segunda bebida mais consumida no mundo? E que foi exportada para a Europa pelos Portugueses?

E agora o que é que vos posso dizer sobre este filme? Que estreia já esta semana, dia 29 de Setembro e é extraordinário e obrigatório.
Vitória é a rainha de Inglaterra e Abdul Karim o empregado que viajou da Índia para participar no seu Jubileu de Ouro, o que nasce daqui?  Uma história baseada em factos reais, de amizade improvável, de generosidade, deliciosa, engraçada, que nos faz viajar. Ingredientes estes, que juntos me deixaram com os olhos um pouco salgados e cheia de vontade de ir à Índia.
E depois de me ter segurado para não deixar cair uma lágrima, sim eu sou uma lamechas, abri o tão esperado presente, e assim que vi o que era, saltou-me logo uma gargalhada, a STW Portugal e a NOS surpreenderam-me e desafiaram-me para fazer uma receita com a rainha das frutas, a manga. Que surpresa tão boa e tão gira.
E como adoro manga e adorei ser surpreendida, arregacei as minhas mangas, descasquei a que me deram e fiz uma receita pratica, simples mas deliciosa.
Adoro os sabores do mundo, e "viajo" através deles muitas vezes, hoje foi dia de ir até à Índia.


Peito de frango com molho de manga


VitoriaAbdul


Ingredientes:
  • 500 g de peito de frango
  • 1 manga 
  • sal qb
  • Caril qb
  • 50 g de açúcar amarelo
  • 20 g  de azeite
  • 20 g água
  • Pimenta qb
  • 1 C. sopa de sementes de Sésamo
Preparação:
Colocar todos os ingredientes, excepto o frango, no copo da bimby e programar uns segundos na velocidade 7 até se obter uma mistura mais ou menos liquida. Cortar o peito de frango aos pedaços e envolver no molho, deixar ganhar sabor e depois cozinhar numa frigideira. 

Pode não ser um prato digno da realeza, mas sei que se a rainha Vitória o provasse ficaria deliciada. Não tenho dúvidas que as coisas simples da vida nos fazem sorrir, ficar mais leves e bem dispostos, tal como aconteceu com a Rainha.






VitoriaAbdul


VitoriaAbdul


A convite da Spread The Word  e da NOS tive o privilégio de poder assistir a uma sessão exclusiva de apresentação do filme Vitoria & Abdul.
Assim que cheguei ao El Corte Inglés, recebi um saco que estava fechado e que tinha indicações só para ser aberto no final da sessão. Curiosos? Também eu fiquei, e se querem saber leiam tudo até ao fim.
Antes da sessão de cinema, tivemos direito a um workshop de protocolo para rainhas, sempre útil pois sabe-se lá quando nos poderá vir a ser preciso utilizar as regras de etiqueta. Aprendemos também algumas curiosidades sobre esta bebida tão deliciosa, sabem porque é que se chama tea? Pois é, tem este nome pois quando as ervas eram exportadas de Portugal para o resto da europa, nomeadamente Inglaterra, as caixas de madeira onde iam armazenadas as ervas, tinham gravadas as letras T.E.A. que significava Transporte de Ervas Aromáticas. E sabiam que o chá é a segunda bebida mais consumida no mundo? E que foi exportada para a Europa pelos Portugueses?

E agora o que é que vos posso dizer sobre este filme? Que estreia já esta semana, dia 29 de Setembro e é extraordinário e obrigatório.
Vitória é a rainha de Inglaterra e Abdul Karim o empregado que viajou da Índia para participar no seu Jubileu de Ouro, o que nasce daqui?  Uma história baseada em factos reais, de amizade improvável, de generosidade, deliciosa, engraçada, que nos faz viajar. Ingredientes estes, que juntos me deixaram com os olhos um pouco salgados e cheia de vontade de ir à Índia.
E depois de me ter segurado para não deixar cair uma lágrima, sim eu sou uma lamechas, abri o tão esperado presente, e assim que vi o que era, saltou-me logo uma gargalhada, a STW Portugal e a NOS surpreenderam-me e desafiaram-me para fazer uma receita com a rainha das frutas, a manga. Que surpresa tão boa e tão gira.
E como adoro manga e adorei ser surpreendida, arregacei as minhas mangas, descasquei a que me deram e fiz uma receita pratica, simples mas deliciosa.
Adoro os sabores do mundo, e "viajo" através deles muitas vezes, hoje foi dia de ir até à Índia.


Peito de frango com molho de manga


VitoriaAbdul


Ingredientes:
  • 500 g de peito de frango
  • 1 manga 
  • sal qb
  • Caril qb
  • 50 g de açúcar amarelo
  • 20 g  de azeite
  • 20 g água
  • Pimenta qb
  • 1 C. sopa de sementes de Sésamo
Preparação:
Colocar todos os ingredientes, excepto o frango, no copo da bimby e programar uns segundos na velocidade 7 até se obter uma mistura mais ou menos liquida. Cortar o peito de frango aos pedaços e envolver no molho, deixar ganhar sabor e depois cozinhar numa frigideira. 

Pode não ser um prato digno da realeza, mas sei que se a rainha Vitória o provasse ficaria deliciada. Não tenho dúvidas que as coisas simples da vida nos fazem sorrir, ficar mais leves e bem dispostos, tal como aconteceu com a Rainha.




continuar a ler



spirulina

Estive de férias 1 mês. De Agosto até Setembro, um mês no campo, a esvaziar a mente, a alimentar o espírito com o que de melhor a vida do campo nos pode dar. Ferias com detox digital, não porque me tenha exigido mas porque os fornecedores de serviços assim me obrigaram. O que eu verifiquei neste mês de férias? É que ter internet 4G no interior do pais é um luxo, enfim...
Agora tecnologias à parte e de regresso à cidade e às rotinas, e para manter o equilíbrio, nada melhor que um smothie cheio de cor e sabor para nos dar aquela energia necessária para enfrentar as intempéries do nosso dia a dia tais como, filas de trânsito, correrias ao supermercado, aturar gente desagradável, enfim todas aquelas situações que nos descentralizam e nos retiram o foco, sejam elas quais forem.
Este smothie ficou uma maravilha, eu pessoalmente não adoro o sabor da spirulina mas combinada com canela e banana é uma verdadeira maravilha. O palato "trabalha-se" e coisas que eu dizia que não gostava, depois de insistir um pouco, hoje fazem parte da minha lista de compras.


Este meu smothie levou:
  • 200 ml de leite de amêndoa
  • 1 Banana
  • 1 colher de chá de spirulina
  • e canela a gosto

Benefícios de cada alimento:

A banana é rica em triptofano, aminoácido responsável pelo aumento da produção de serotonina, que é a hormona responsável por melhorar o humor, será por isso que os macacos são tão bem dispostos? Se é ou não por isso não sei, o que sei é que quando falo em bananas não me consigo distanciar deste grande clássico da musica portuguesa do grande José Cid "Como o macaco gosta de bananas eu gosto de ti".
Rica em Vitamina C, em magnésio e potássio. E ao contrário do que muita gente pensa a banana madura não causa prisão de ventre, pelo contrário, devido à sua quantidade de fibra ajuda a regular o intestino. O que provoca prisão de ventre é a banana verde.

A Spirulina é considerada um poderoso suplemento alimentar. É uma proteína completa pois contém os 9 aminoácidos necessários para o ser humano, é rica em vitaminas e minerais tais como vitamina B6, B3, B12, B2, B1, E, cálcio, zinco, potássio, magnésio, cobre, ferro, fosforo. 
Este super-alimento combate a fadiga, melhora a disposição, promove a imunidade e por isso previne doenças, melhora o sistema nervoso central e é rica em antioxidantes.
Alguns estudos demonstraram que a spirulina estimula a produção de anticorpos contra organismos patogénicos.

Este smothie faz-se em menos de 2 minutos é simples, saboroso e super saudável, o nosso corpo agradece.



Recentemente a Yves Rocher enviou-me estes produtos para experimentar, e independente de qualquer tipo de oferta que tenha, a minha opinião é isenta e baseada na minha experiência. Como já os experimentei, hoje vou falar sobre eles.

  •  aqui falei da importância de reduzirmos a quantidade de resíduos e de sermos amigos do ambiente, e faz cada vez mais sentido substituir as embalagens de grandes volumes para embalagens mais pequenas, e é aqui que começa também esta inovação. Uma embalagem de 100ml equivale a uma de 400 ml. Com isto além de reduzirmos os resíduos que produzimos, também reduzimos a necessidade de transporte, devido à poupança de espaço. Nunca tinhas pensando nisto? 
  • O frasco é reciclável e com 25% de plástico reciclado incorporado.
  • Este gel em contacto com a água faz uma espuma muito generosa e cremosa o que nos deixa a pele muito macia. Esta formula é biodegradável.
  • Sem conservantes e sem parabenos e de origem vegetal. Todos os produtos que colocamos em contacto com a nossa pele deviam ser os mais naturais possível, há quem defenda que só deveríamos usar tudo aquilo que pudéssemos consumir, não vou ser tão extremista, mas se poder utilizar uma fórmula o mais natural possível e se estiver ao meu alcance, então é isso que vou usar.
  • Disponível em 3 aromas, Baunilha Bourbon, Manga & Coentros e Azeitona & Laranja-amarga.
É verdade que no mercado existem produtos mais baratos mas também é verdade que a maioria não são nem amigos do ambiente nem da nossa pele. Este gel custa 3,95€ e dá para 40 duches.


100palavraspordia

Quando aceitei o desafio da Filipa do blog Deixa Ser estava longe de imaginar a dificuldade, embora quisesse muito levar isto até ao fim. Tinha uma pequena desconfiança que escrever todos os dias pelo menos 100 palavras durante quase 3 meses e meio, poderia deixar-me sem palavras, houve dias que foi quase isso.
Um dos meus principais propósitos deste desafio era de me tornar mais fluída a escrever, mais natural e despreocupada.

Escrevi diariamente sobre coisas que nunca pensei escrever que se iam passando à minha volta, sobre atitudes, valores, defeitos, contei histórias e partilhei receitas e reflecti. Muito. Este desafio serviu para observar e tirar muitas conclusões.

Foi muito bom mas cansativo, pois quando as coisas se tornam uma obrigação parece que a nossa inspiração se desvanece.

Se me voltaria a meter num desafio destes? Talvez não. 
Mas apesar das dificuldades {até a internet me faltou} o melhor de ter chegado ao centésimo dia, foi a certeza com que fiquei, de que valeu muito a pena. 


O meu cunhado rendeu-se à agricultura biológica. E enquanto uns se  limitam a comprar esses produtos cultivados da forma mais natural possível e super caros {eu às vezes costumo comprar}, ele não os compra. Ele cultiva-os.
Então, sorte a dele e a minha também. Sorte a dele por gostar de ocupar os seus tempos livres a cultivar e isso traz-lhe equilibrio, sorte a minha por me calhar produtos cultivados com carinho e do melhor que há.
Claro que desta produção caseira quando temos excesso de determinados legumes nada se perde e tudo se transforma, e basta dar asas à imaginação e fazer disso uma festa. Com os excesso de curgete que me tem calhado e numa altura em que não me apetece comer sopas e também já desisti de congelar senão um dia destes quando abrir a arca arrisco-me a comer apenas curgete, teve-se de improvisar e em vez de se fazer o tão delicioso bolo de cenoura experimentei substituir por curgete, e sabem o que resultou daqui? Um bolo absolutamente delicioso. E foi uma festa de cheirinho e sabor. Claro que há sempre aqueles que torcem o nariz a tamanha audácia, curgete? "Que nojo". Como se curgete fosse muito diferente de se colocar cenoura ou abóbora, enfim. Gente que não sabe o que perde. Eu nunca digo que não gosto antes de provar, mesmo que a ideia até me possa parecer estranha, e por ter esta "coragem" tenho me deliciado com muitas combinações improváveis.


A vida só se dá a quem se deu!

Ingredientes:
  • 250 g curgete
  • 4 ovos
  • 90 g óleo
  • 320 g açúcar
  • 220 g farinha
  • 1 c. sopa de fermento em pó p/ bolos
  • 2 c. sopa de sementes de chia


Preparação do bolo:

Pré-aquecer o forno a 180º C. Colocar no copo a curgete e triturar 15 Seg/ Vel 9.  Adicionar os ovos, o óleo, o açúcar e programar 1 Min/ Vel 6. Juntar a farinha, o fermento e a chia e envolver 15 Seg/ Vel 3. Colocar numa forma previamente untada com margarina e polvilhada com farinha, deitar o preparado e levar ao forno cerca de 40 minutos. É importante ver se ao fim deste tempo se o bolo não está ainda cru em determinadas zonas, e se for necessário coloca-se um pouco mais de tempo.
 

Hoje foi o meu primeiro dia de férias {para mim conto logo a partir do momento em que pico o cartão na última sexta-feira} mas hoje é efectivamente o dia em que começa a contagem decrescente para a volta à realidade, ou não.
Hoje foi dia de rumar para norte para achar o meu. Foi dia de carregar o carro bem carregado porque uma ausência de 30 dias assim o exige {pelo menos para mim}. Vai ser uma ausência da cidade como já não fazia à muitos anos, quem sabe se me habituo a isto de tal maneira que fico por aqui. 
Cheguei a um momento da minha vida em que nada faz sentido se o melhor que tu dás todos os dias não é valorizado, então chegou o momento de parar para reflectir. Não me perguntem como mas sei que no final destes 30 dias vou ter a minha resposta. Pelo menos sei que vou voltar diferente.

Hoje foi dia de ir à praia com as minhas miúdas fofas. Uma já é uma senhora e para o próximo ano já entra para a faculdade, a outra entra agora para a primeira classe.
Não levámos brinquedos e a Mada não se importou nada. Começou logo a inventar de fazer uma pizza e para isso bastava-lhe apenas a areia e uma embalagem de iogurte vazia que utilizava para ir buscar água, e depois fingia que era tomate. Entreteve-se assim durante o tempo que estivemos na praia, brincando com a sua imaginação. Não ficou triste e sem fazer nada e deu asas à sua imaginação. 
Às vezes vejo pais super mega hiper carregados com brinquedos para os meninos não ficarem aborrecidos. E esquecem-se que eles brincam com qualquer coisa e de que maneira for, que usam a imaginação e o que está ao alcance deles.
Com isto não quero dizer que não se deva levar brinquedos, estou só a relembrar que nós adultos, muitas vezes é que já não sabemos viver com pouco e achamos que as crianças também não.
E ainda bem que elas nos ensinam como é bom o lado simples da vida, o de ter pouco e ainda assim, fazer disso uma festa.